Desisti mais uma vez…

27 de outubro de 2009 at 10:43 pm (1)

Por toda a vidaA

Por toda a vidaB

Estou a 30 minutos tentando escrever algo que descreva meu desenho, mas não consigo pensar em nada. Talvez eu esteja desenvolvendo minha capacidade de desenhar, e esteja atrofiando minha capacidade de escrever. Enfim, a verdade é que o desenho praticamente se explica por si só. O que está por tráz dele é de posse do imaginário humano, dos devaneios individuais de cada um que lê. O que EU penso por tráz desse desenho? Muita coisa….

Eu lembro de tudo aquilo que deu errado na minha vida, tudo aquilo que desviou para um caminho alheio à minha vontade. Eu lembro da faculdade, que eu desisti porque eu não gostava; e eu lembro dos namoros que terminaram por falta de alguma coisa. Lembro de tudo isso com a certeza de que, no final das contas, o desfecho aparentemente trágico e infeliz foi, na verdade, a solução mais obvia de todas.

Porém, a solução obvia não é a mais fácil de se tomar. Desistir de algo ou de alguém vai além daquilo que se está desistindo. Quando eu saí da faculdade, renunciei não apenas àquela vaga e àquela carreira, renunciei a todos os sonhos e desejos que me guiaram até ali. Sair da faculdade foi fácil, difícil foi assassinar meus sonhos antes mesmo que eles nacessem.

Desisti de muitas coisas al longo da vida, inclusive de algumas pessoas. Quando se toma a decisão de desistir de um relacionamento é porque, de fato, esse relacionamento já trás consigo muita tristeza. Mesmo assim, terminar não é fácil. Junto com o namoro vão-se os sonhos e os planos de futuro. Desistir de algo que foi tão importante é como um aborto expontâneo de um feto doente. Um feto que podia até vir a nascer, mas traria consigo muita dor e muito sofrimento. Desistir é um mal necessário à nossa felicidade.

Uma sensação de vazio toma conta da gente quando algo dá errado, como se, de alguma forma, a culpa fosse toda nossa, mesmo que não seja. Uma sensação de que talvez poderíamos ter nos esforçado mais e tentado mais. Uma sensação que inevitavelmente vem acompanhada de um lapso de lucidez e que nos diz: “Não, não era para continuar! Você estava infeliz!” Mas esse lapso é como uma gota d’água tentando apagar um incêndio.

No final das contas, a vida é mesmo uma loteria. Não se pode prever se seremos felizes ou não. Só  depois de termos sido felizes é que podemos afirmar, com certeza, que fomos felizes! Em meio a esse devaneio de emoções, penso que talvez a melhor forma de sermos felizes, seja aceitando nossa infelicidade.

Perdido1

Anúncios

16 Comentários

  1. Dini said,

    Linkin Park – Given Up

    “Waking a sweat again.
    Another day’s been laid to waste
    In my disgrace
    Stuck in my head again
    Feels like I’ll never leave this place
    There’s no escape
    I’m my own worst enemy

    I’ve given up
    I’m sick of feeling
    Is there nothing you can say?
    Take this all away
    I’m suffocating
    Tell me what the fuck is wrong
    With me….”

    Me pareceu relacionada ao contexto…não sei, talvez…
    As vezes procuro nas musicas um apoio. É sempre bom ver que não é só com agente que os problemas acontecem.
    Se já existe uma musica para determinada situação, é pq nao estamos sozinhos ;p
    Se não existe…escreva uma! Não é voce o musico??? 😉

    Abraço Zeh

    • paivafp said,

      Eu nunca pensei nas musicas assim, dessa maneira, mas, de fato, elas são uma prova irrefutável de cumplicidade. Infelizmente não tenho talentos para compor, se não, eu até escreveria mesmo ma música. Eu faço como você, busco músicas que contem o que eu sinto, hehehe.
      Valew pela visita Rapha, grande abraço

      • Dini said,

        Aproveitando o seu desabafo.. outra do Linkin Park pra expressar o meu estado de espírito

        The Little Things Give You Away – Linkin Park

        “Don’t want to reach for me, do you?
        I mean nothing to you, the little things give you away
        And now there will be no mistaking
        The levees is breaking
        All you’ve ever wanted
        Was someone to truly look up to you
        And six feet under water, I do..”

        Quer ir encher a cara? Aaaah eu não posso =/ auhUHAuhAuhA fuck!!

  2. Wallacy said,

    Eai meu caro,
    belo texto, bem emotivo, mas muito bom!
    tá certo nacessem ? ou seria nascessem?
    hahahaha
    mlk, o proximo post tem que ser igual o anterior! quero dar risada rsrs! e oferece pra mim !

    Beijo me liga!

    wall.*

    • paivafp said,

      O certo é Nascessem.., pq, eu digitei errado??? Ah, foda-se, toda vez eu cometo algum erro, por mais que eu leia e releia. É bom pra mostrar que eu sou humano, hehehe.
      Ah, eu até queria que esse post fosse engraçado, mas sei lah, meu estado de espírito num permitiu, hehehe.
      Valew pela visita, abraço!

  3. LP/Doug/SS4 said,

    Vc diz q certas decisões são dificeis, msmo q necessarias …
    Realment penso q a sensação de acomodação, por mais q naum seja a mais, agradavel nos bloqueia na hora de tomar decisões q possam mudar de vez a situação atual em q vivemos … Ex: Terminar um namoro capenga: Por mais capenga q seja é algo mais seguro, estavel. Termina-lo acabaria com tal “estabilidade”, no entanto tal atitude (terminar) é necessaria.

    Sempre acreditei q coisas faceis naum acrescentam muito, logo as decisões mais dificeis são aquelas q realment vaum fazer a diferença no fim!

    Vc disse q matou sonhos e planos de futuro …
    Na minha opinião matar um sonho q está nascendo em uma situação turbulenta triste eh preciso …
    Triste msmo eh parar de sonhar com medo de repetir o erro ou por mera desistencia.

    Num momento dificil eu faço questão de sentir, me dexar levar pelos sentimentos, ñ pensar, apenas sentir …
    Depois de estravasar tudo, paro e começo a pensar novamente… e recomeçar!

    A vida é como um livro que escrevemos onde só podemos corrigir nossos erros atuais nas paginas seguintes.

    Me empolguei xp rsrsrs

    Abraços de Urso \o/

    • paivafp said,

      Uau, é verdade meu caro, concordo com tudo que vc escreveu. Eu devia colocar seu comentário no lugar do meu post, hehehe.
      Abraço!

  4. Pablo Carranza said,

    Oi!
    vim dar uma olhadinha no seu blog ehehehe
    Bom texto cara! gostei!

    abcs!

    • paivafp said,

      Obrigado pablo…., vindo de você é um baita de um elogio!!!!
      Grato pela visita, e apareça mais vezes!!!!

  5. Elza Mancini said,

    Adorei o blog, principalmente esse post.

    Concordo parcialmente com tudo o que escreveu.

    Pessoalmente poderei explicar melhor, pois estou aqui no trabalho e não pude ler atentamenda da forma devida.

    Parabéns pelas palavras

    Bjs

  6. Tamara said,

    Bom , adorei , acho que nem sempre a gente esta feliz.
    E nem sempre é bom ficar com esses sentimentos guardados, sem expressa-los de alguma forma.
    e eu achei muito bom tbm por que acabei de sair de um relacionamento …
    estável, feliz , com muito sentimento…porem não existiam sonhos .
    Não da minha parte , mais da dele, e isso é muito difícil..mais o termino foi necessário.
    Enfim, acho que felicidade ou infelicidade é uma coisa que a gente nunka vai ter por inteiro .EU acho que felicidade, ainda não conhecemos, o que existe não momentos de felicidade. E a infelicidade, é você quem escolhe, por que mesmo não momentos difíceis, você pode escolher ficar infeliz ou fazer disso um grande aprendizado, tornando o problema mais facil e sempre vendo que tudo tem uma razão , mesmo que ainda não vemos ou intendemos eles.

    A sei la, eu num so muitoo clara escrevendo não . HSAHSAUAH ..
    Mais o que intereça é que eu gosteii muiitooo do post, beijãoo 😉

  7. Red said,

    Cacete! Cheguei aqui no seu blog meio sem querer e que surpresa boa! Não que esperasse que você escrevesse mal, mas não sabia que era tão bom assim. A construção do texto está ótima, você versa sobre um assunto difícil mas não cai em falácias em nenhum momento. Muito bom mesmo.
    Dentro do que você escreveu, eu não acredito no conceito de desistência, pelo menos não para tudo na vida. Nós mudamos e transformamos nosso redor o tempo todo, somos “vítimas” e agentes. Conforme essas transformações ocorrem, passamos a ter novas prioridades e vontades. Nossas idéias mudam. Por exemplo, dentro de um contexto específico e que você abordou em seu texto, é exatamente por causa dessas mudanças que não existe uma pessoa certa para cada um de nós. Existem várias, uma para fase da vida, já que somos e queremos coisas tão diferentes em cada uma delas.
    É claro que isso não significa que é impossível amar alguém a vida inteira, não só no sentido de amor romântico, mas nas maneiras mais gerais de afeto. Assim como as afinidades são construídos ao longo da vida elas podem ser reconstruídas dentro de novos contextos – o amoroso inclusive. Mudamos sim, mas essas mudanças podem ser exatamente o que nossos parceiros “esperam”, e, se a recíproca for verdadeira, temos um “final feliz”. No fim, vemos coisas diferentes em momentos diferentes, e às vezes isso depende do que queremos enxergar. Você já leu um conto do Machado chamado “Noite de Almirante”? Em linhas gerais, um homem ama uma mulher e, prestes a fazer uma viagem muito longa, pede que ela jure que vai ser fiel a ele durante o período de distância. Ela jura e ele vai tranquilo. Quando volta, descobre que ela está vivendo com um outro e, quando vai tirar satisfações, diz “mas você jurou”, e a moça, em linhas gerais, responde “mas quando eu jurei era verdade”. As coisas são assim.
    Se pensarmos desse modo concluímos que não desistimos nunca. Só nos esforçamos mais para alcançar o objetivo geral, e talvez inatingível – sermos felizes. E buscar a felicidade não pode ser visto como desistência de maneira nenhuma. Talvez essa visão seja apenas a fuga de uma “covardia” que trago comigo – eu vivo jogando coisas para o alto sob esse pretexto, hehe. Talvez não. Outra coisa que depende da visão e do contexto!

    Bem, parabéns!

    =]

    • paivafp said,

      Puxa fernanda, nem sei como te agradecer pelas palavras! Fico muito honrado pelo que você falou, especialmente porque foi escrito por uma pessoa como você. Obrigado pelo comentário, diante dele, meu texto fica substancialmente pobre.
      Vou adicionar seu e-mail à minha lista, e eu te aviso sempre que houver uma atualização nova, ok?
      Seja bem vinda!
      Abraços!!!!!

  8. Jefhcardoso said,

    Cara, chamam alguns de blogueiros. Não sei se o termo é esse. Quem escrevia cartas era chamado de missivista?
    Bem, através de um comentário que deixou em outro blog tomei conhecimento do seu. Também tenho um blog. E daí?
    Acontece o seguinte: comecei a publicar meus escritos e minhas fotos, e convido as pessoas para que os vejam. Você atende aos convites?
    Bem, se atender deixe um comentário.
    Parabéns por seu trabalho!
    Abraço: Jefhcardoso (um fisioterapeuta de uma u.t.i, interiorano, pai de família, com um olhar próprio sobre o cotidiano). http://jefhcardoso.blogspot.com/ e http://gazetasetetrombetas.blogspot.com/ .

  9. Carol said,

    Acho que, afinal, essa foi uma má semana para ambos. Fazia tempo que não te via tão… sobrecarregado.
    Sinto muito por sua faculdade, acho que ler em seu blog não foi o melhor jeito de descobrir que você desistiu, mas se quer saber, eu acho que se você não estava feliz é porque aquele não era o seu sonho de verdade. Vai ver você ainda nem sonhou o seu sonho de verdade haha

    Espero que esteja mais animado a essa altura, e espero que consiga atingir seus novos objetivos de vida.

    Beijos, Fe.
    Beba por mim hoje, que eu to fraca
    haushiauhsas

  10. marcio ferreira (magoo) said,

    Professor,dessistir por opção após uma reflexão da vida é difícil. Porém, nobre no sentido da busca dessa tal ´´felicidade´´. Foda é dessistir, por cegueira e pobreza(deficiencia visual) Certo? Você é muito bom…;Mr.Magoo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: